sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Machado e Leão- Coisas parecidas?

Cartum: Machado e Leão-  Coisas parecidas?

Mais uma tirinha de Los intelectuais, agora fazendo uma breve reflexão sobre a realidade uberlandense. O cartum , Machado e Leão-  Coisas parecidas? faz uma breve analise da realidade politica local. Para os bons entendedores e claro a diferença. 

D.C- 11.11.2017 - Jimmy Rus

sábado, 28 de outubro de 2017

11ª Edição de Festival de Animação em Uberlândia

“O Kaiser”, de Seth, é o merco zero da animação no Brasil / Foto: Reprodução


         Acontece neste sábado 28.10.2017 a 11ª Edição do Festival de Animação em Uberlândia/MG.A mostra que comemora também o centenário da animação contara com a apresentação o projeto Animare do Estúdio F7 e Marcelo Branco e posteriormente terá a apresentação da Mostra Nacional de Animação, sendo encerrada com a apresentação da histórica animação "O Kaiser".  
         Vale a pena conferir!

SERVIÇO
O QUE: Dia Mundial da Animação
ONDE: Museu Universitário de Arte (MUnA) (Praça Cícero Macedo, 309, Fundinho)
QUANDO: sábado (28), a partir das 18h30
ENTRADA FRANCA


Fonte: http://olhanodiario.com.br/noticia/14027/dia-mundial-da-animacao-tem-sua-11--edicao-em-uberlandia#.WfPZTERGgVA.facebook

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

DO que não é só meu ... ... SOBRE A ARTE DEGENERADA


ME
Em 1933, Hitler fecha a Bauhaus na Alemanha (Escola de Arte criada pelo arquiteto Gropius em 1919) e promove a primeira exposição difamatória da arte moderna em Karlsruhe e Mannheim. O regime nazista começa então a perseguir diversos curadores, diretores de museus, artistas e professores como Willi Baumeister e Otto Dix.
Em 1937, o então ministro da propaganda Josef Goebbels, difundiu uma massificada campanha contra a arte moderna, criando assim o conceito de “Arte Degenerada”, para definir uma série de obras artísticas que eram consideradas “subversivas”. As maiorias destas obras eram de artistas alemães, porém entre elas havia também telas de Matisse, Picasso e até mesmo Van Gogh.
Foram confiscadas cerca de 5000 obras e em 19 de julho de 1937, organizaram uma exposição com cerca de 650 pinturas, esculturas, gravuras, devidamente escolhidas daquele acervo “maldito”, e lhe chamaram Entartete Kurnst, ou Exposição da Arte Degenerada, cujo objetivo era expor as obras apreendidas com fim de ridiculariza-las.
Usando sobre as imagens ou esculturas frases com intuito “pedagógico” de “explicar” seu significado aos visitantes. Os nazistas também organizaram simultaneamente uma outra exposição chamada “Grosse deutsche Kurnstausstellung (“Grande exposição da Arte Alemã”), com obras de arte ditas “não degeneradas”. Contudo a exposição da “Arte Degenerada” recebeu um número imensamente maior de visitantes do que a exposição com obras consideradas “não degeneradas.
Esta nota histórica nos traz a reflexão de que não é primeira vez que obras de arte recebem tratamento difamatório. Por outro lado, nos mostra que são poderosas demais para serem ignoradas. Elas transcendem seu próprio tempo, traem seu próprio criador, significam e ressignificam aos olhos de seu apreciador ou mesmo de seu inquiridor.
No Brasil recentemente uma série exposições de arte tem estado sob o astuto olhar censor de certos grupos políticos conservadores. O caso mais emblemático é o do Queermuseu. Que foi duramente criticado até o fechamento da exposição. Exposição esta que já havia sido apresentada em Washington e também em Varsóvia, capital da Polônia, coincidentemente uma das cidades que mais sofreu com o regime nazista.
Porém se antes as obras do Queermuseu ficariam restritas a poucos e seletos observadores, que pudessem acessá-las em uma exposição realizada na galeria de um banco privado, agora, elas romperam para além de seus próprios limites e estão no foco do olhar de todos. Bertold Brecht, poeta alemão exilado durante o regime nazista, se questionava, “que tempos são estes, em que é quase um delito falar de coisas inocentes”.
Pois o surto pseudo moralizante caiu como um tacape sobre a arte alemã, e consequentemente sobre as liberdades individuais. As cores sumiram, o riso silenciou, o pensar por si mesmo foi substituído pela norma publicada, por uma estética sombria que tragou uma geração. Surtos moralizantes quase sempre precedem o horror, a insensibilidade e a insensatez.
Como disse Adorno: “A grandeza de uma obra de arte está fundamentalmente no seu caráter ambíguo, que deixa o expectador decidir sobre seu significado”. Na tentativa de silencia-la, ela gritou. Gritou alto, para que todos a ouvissem, até mesmo os que a tentaram silenciar! A arte sobreviverá certamente. Mas são tempos sombrios sem dúvida. Em que o pincel segue os contornos do medo, os poemas devem ser ditos em segredo, a única nudez tolerada é a da ignorância explícita.
Como historiador não posso me furtar a responsabilidade de alertar a sociedade, que fenômenos iguais a estes já se passaram neste mundo. E que as consequências foram terríveis. "A função do historiador é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer" diria Peter Burke. No que completa Bertold Brecht, pois “aquele que ri ainda não recebeu a terrível notícia que está para chegar”.


*Flávio Muniz é historiador
Copiado de André Luis Campos.
Copiado de Ropre Alessandra Cunha

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

CANCELADO: "Oficina de Cartum e História em Quadrinhos"



Boa noite pessoal. A "Oficina de Cartum e História em Quadrinhos" que teria início amanhã (20/08/2017) e que já havia sido prorrogada, foi cancelada. Infelizmente tivemos  um numero muito pequeno de inscritos. A oficina ficará para outra oportunidade.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Prorrogada inscrições: 19/08/2017 - Oficina de HQ em Uberlândia

Atenção, atenção.
 Foram prorrogadas as inscrições para  a Oficina de Cartum e História em Quadrinhos com Jimmy Rus no MUnA.

Estão abertas inscrições para a Oficina de Cartum e História em Quadrinhos com Jimmy Rus no MUnA, a qual terá inicio  neste sábado e serão ministradas no MUnA- Museu Universitário de Arte (Uberlândia/ MG). 
Inscrições e informações no local.
Fone: (34) 3231- 9121 falar com Jaqueline.
Inicio das aulas: 19/08/2017
Custo: R$ 10,00

Portanto galera amanha não terá aula.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Oficina de Cartum e História em Quadrinhos com Jimmy Rus

Estão abertas inscrições para a Oficina de Cartum e História em Quadrinhos com Jimmy Rus no MUnA, a qual terá inicio  neste sábado e serão ministradas no MUnA- Museu Universitário de Arte (Uberlândia/ MG). 
Inscrições e informações no local.
Fone: (34) 3231- 9121 falar com Jaqueline.
Inicio das aulas: 12/08/2017
Custo: R$ 10,00

terça-feira, 18 de julho de 2017

Extra! Extra! Oficina de cartum e histórias em quadrinhos com Jimmy Rus e O.Q de Quadrinhos no MUnA.

Extra! Extra! Notícia nova no front.  Oficina de cartum e histórias em quadrinhos com Jimmy Rus e O.Q de Quadrinhos no MUnA. A notícia é recente e nesses dias frios de inverno vem esquentar nosso blog.
Fechando detalhes, essa semana teremos mais noticias sobre a oficina de Cartum e HQs a ser realizada no MUnA - Museu Universitário de Arte, na cidade de Uberlândia (MG).
As oficinas serão ministradas no decorrer do mês de Agosto de 2017. Horários, datas e inscrições ainda estão por ser definidas. Aguardem.  

domingo, 16 de julho de 2017

O poder visionário do artista

O artista, seja ele um músico, um pintor, um cartunista, um escultor, etc, possui um alto grau de sensibilidade que o conecta com outros estágios e formas de percepção da realidade. Entre todas as classes de artistas existem alguns raros seres que se destacam e são tidos como Visionários.
Antes de mais nada vejamos o significado do termo visionário: sig. Individuo que possui a rara habilidade de aliar a visão à competência. Diz-se que o visionário é capaz de enxergar e analisar não apenas o presente mas também o futuro. O visionário é capaz de prever tendências e de antecipar mudanças, em vez de simplesmente ser apenas atropelados por elas. 

No universos das Artes  alguns artistas se tornaram grandes visionários e inspiradores das invenções que viriam assolar a humanidade do século XX. Exemplo disso e o artista Alex Raymond, que em 07 de janeiro de 1934, trazia a realidade o personagem de um romance interplanetário chamado Flash Gordon. 
Publicado inicialmente em pranchas dominicais ( tirinhas), Flash Gordon apresenta mulheres com mini-saias duas décadas antes de Mary Quant ter transformado os trajes sensuais em  realidade. 
As pranchas de Flash Gordon, embora "fictícias", apresentavam já nos anos de 1930 os raios laser e naves espacias que décadas depois vão inspiraram  os engenheiros da NASA a desenharem os foguetes espacias que foram capazes de levar o homem realmente ao espaço.
Alex Raymond não é único, outro gênio visionário que o universo  da Arte revela, e muito conhecido pela sua Gioconda (Mona Lisa). Trata-se do artistas renascentistas Leonardo da Vinci.
                                  
 Estudos de seus cadernos tem trazido a luz do conhecimento geral, diversos protótipos de objetos e inventos que só passaram a existir no século XX. Um exemplo disso e o "Helicóptero" de Leonardo ou Parafuso Helicoidal Aéreo, que foi desenhado em 1493 pelo gênio, antecipando nada menos que  450 anos,o helicóptero . 
Leonardo da Vinci, Alex Raymond e até mesmo outros artistas tem trazido a tona  visões de "futuros" próximos ou não. Seja na pintura, na música, na escultura, nas peças de teatro ou em uma simples tirinha, a veia visionária dos artistas tem mostrado ao senso comum o que um dia (pode ser amanhã, ou depois de amanhã) se tornará realidade, mostrado, o que muitas vezes o senso comum não se permite "ver" sendo atropelado pelos acontecimentos que muitas vezes se mostram evidentes e próximos.
A veia visionária do artista se manifesta em diferentes momentos e em diversas formas. Esteja ele consciente ou não disso,  é um eterno visionário, diríamos um xama da sociedade. 

Por Jimmy Rus - 
Professor, cartunista, produtor cultural entre outras coisas. 




domingo, 4 de junho de 2017

Mulher Maravilha: Sinopse





Sinopse: Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.
Data de lançamento1 de junho de 2017 (Brasil)

sábado, 20 de maio de 2017

A arte fala sem usar palavras

        Recentemente tenho divagado sobre o poder da Arte e então resolvi escrever esse pequeno post a respeito do poder da arte e sua incrível capacidade de comunicar sem usar palavras.
        Esse processo está presente quando o artista, usando de sua habilidade, usando códigos conhecidos ou facilmente identificado por nos seres humanos. Desta forma,  usa de cores, linhas, formas e o resultado e uma mensagem que sutilmente toca a mente do espectador.
      Analisemos como isso ocorre e vejamos as diferentes traduções de uma tirinha, recentemente publicada.
    Numa rápida passagem de olho, notamos na imagem um dinossauro, uma maquina de escrever e no requadro final o personagem Los vestido com a camiseta da seleção brasileira enquanto pensa em panelas.        Na legenda inicial esta escrito "Seleção natural" termo darwiniano que lembra a origem das especie, e que logo e reforçada pela frase "Estão em Extinção" a qual é lustrada por um dinossauro.
A seguir temos uma maquina de escrever, objeto hoje presente apenas em alguns estabelecimentos mas cujos dias já são contados tornando-se um objeto obsoleto.
     Por ultimo nosso personagem aparece trajado com algo que parece não condizer com o tema seleção natural e extinção.
      Porém, aprofundemos mais nos fatos. Sutilmente panelas e a camiseta da seleção brasileira não lembram o fatídico 7x1, o qual a seleção alemã fez sobre a seleção canarinho na copa de 2014, mas sim as manifestações de 2016, que levaram ao impeachment da então presidente Dilma Russef, o qual logo foi seguido pela chegada ao poder do  seu vice. Este levou ao congresso medidas anti populares, tais como a Reforma da previdência, a legalização da Terceirização, a redução da verba ao Bolsa Família (todos programas das gestões anteriores) e a entrega do pré-sal ao capital especulativo internacional.
     Vale lembrar que camisas da seleção e panelas foram vistas nas ruas em manifestações pro impeachment, porém após as escancaradas delações das investigações do Lava Jato, estas não apenas sumiram como pouco são lembradas. Estão em extinção? Não, mas sutilmente o artista (ou melhor eu) coloquei o tema, sem causar grande alarde. A ideia e criticar e ao mesmo tempo mostrar algo engraçado ao publico.
Detalhe interessante e que após as legendas iniciais no primeiro requadro, não se usa mais palavras, apenas imagens que traduzem a ideia do artista.






quinta-feira, 20 de abril de 2017

Homenagem a João Carlos Block

E com grande pesar que viemos a público comunicar o falecimento de João Carlos Block, o Seu João da Revistaria da UFU da qual era sócio proprietário.
Seu João faz parte da história de muitos alunos da UFU campus Santa Monica, e foi por alguns anos um de nossos principais apoiadores com a publicação da Revista O.Q de Quadrinhos, a qual chegou a distribuir e gentilmente cedeu espaço em sua revistaria para nossas edições.
Mais que um apoiador era também um amigo, com seus trocadilhos com nossa língua portuguesa, sua sabedoria de dono de banca, sua espertice ( se é que essa palavra existe) sobre diferentes e vários assuntos. Sua passagem (embora entendemos que cada um tem seu tempo nessa nossa realidade) muito nos entristece.
Em sua banca, que está no campus Santa Monica a mais de 13 anos,  fizemos estorias e amizades. Construímos parcerias, conhecemos gente de todos os tipos. Tecemos diálogos inimagináveis!
Seu João! Não há palavra que o defina.  
Fique em paz! Até breve grande amigo.



terça-feira, 18 de abril de 2017

Los em tirinhas: Seleção Natural

Los em tirinha da serie Seleção Natural 
Contribuição minha (Jimmy Rus) para o blog, com a primeira da serie de tirinhas com o titulo "Seleção Natural" do personagem Los Intelectuais
Com o titulo Darwiniano, inciei a serie que traz a tona seres vivos extintos, como os dinossauros e objetos como o visto na tira acima, onde figura uma maquina de escrever, os quais contrastam com fatos da conjuntura politica atual.
As tiras que estão sendo publicadas, podem ser vistas aos sábados ou domingos no jornal impresso Diário do Comercio (Uberlândia), ou no blog de http://jimmyrus.blogspot.com.br. 
  

segunda-feira, 13 de março de 2017

Atividades de oficinas do O.Q de Quadrinhos realizada em 2016

Iniciada em abril de 2016, o O.Q de Quadrinhos realizou no ano de 2016 atividades de oficinas dentro do PROETI (Programa de Educação em Tempo Integral) com alunos de 1º ao 9º ano da Escola Estadual Padre Mario Forestan.
Nas aulas, que foram ministradas pelo professor de arte Evânio B. Costa (Jimmy Rus) foi apresentado aos alunos no decorrer do ano, técnicas de desenvolvimento de personagem, criação de cenário, elementos básicos das HQs (Balão, onomatopeia, enquadramento).  O resultado foi a confecção de tirinhas, cartuns e uma HQ cujo tema foi o meio ambiente.
 As atividade se desenvolveram até o final do ano, e muito agradaram as crianças.
Abaixo apresentamos algumas fotos dos alunos em plena atividade, e alguns cartuns.
Boa leitura.